Se imaginássemos como seriam os Agricultores no Futuro, certamente teríamos muitas novidades que contar!

Agora, são pequenos detalhes que podem fazer com que a produção do futuro se manifeste no presente! É claro que no futuro, vamos ter inegavelmente tecnologia apoiando o campo, entretanto, a classe de tecnologia é o fator determinante para que esse futuro seja saudável, responsável e inclusivo.

Estamos falando de soberania alimentar, algo além da segurança alimentar. Trata-se de incluir os agricultores e suas famílias em um mercado cada vez mais distante de valores e princípios éticos.

A Gondola Segura tem participado ativamente de um grupo de diálogo sobre como podemos tratar o tema acima de forma colaborativo, gerando valor compartilhado. O nome desse grupo: Agricultores do Futuro.

Evidente que temos uma necessidade como empresa social de levar tecnologia ao campo, entretanto, não somente esse propósito move o grupo. Queremos desenvolver juntos tecnologias humanas e sociais.

Convidamos de produtores a pesquisadores, de empreendedores a programadores para esse grupo de cultivo.

Cultivamos relações em rede, questionamentos em formato de ideias, e propostas com propósitos de forma a semear iniciativas que possam impactar positivamente a vida dos produtores rurais familiares.

Estamos nesse momento descobrindo uma dimensão chave para que os produtores possam manifestar sua riqueza, sua dignidade e permanência no segmento bem como no território: a gestão de custos de produção.

O tema pode parecer clichê, mas dentro da Agricultura, a maioria dos produtores rurais familiares não realizam o controle gerencial de suas unidades de produção. Os que realizam estão quase sempre utilizando de meios rústicos como cadernos de anotações.

Não existe nenhum problema em utilizar um controle gerencial rústico, ou que não seja automatizado para cultivar alimentos, entretanto, quando falamos de um segmento que tem como competidores empresas multinacionais, e que além de buscarem estabelecer critérios exploratórios e anti éticos como as sementes transgênicos, e ou práticas de commodities, estas passam também a controlar por meio de grupos a distribuição e a comercialização de cadeias produtivas ao consumo.

É necessário ficar atento para não incorrer em um erro básico, como o da falta de recursos e mercado para o desempenho de um cultivo familiar e orgânico quer seja de forma rústica ou profissional mantenha-se perene vencendo desafios como os geracionais por exemplo, evitando que acabe por fim, a falta de planejamento, levando uma família ter que vender a propriedade para um grupo e ou latifúndio e mudar-se a uma cidade.

Para aprofundar:

GESTÃO DE CUSTOS NA AGRICULTURA FAMILIAR NA CIDADE DE
PONTA GROSSA, MARIA HELENA DA FONSECA

PG_PPGEP_M_FonsecaMariaHelenada_2018_tese_custo

Saiba mais em Agricultores do Futuro.