Foi através de empreendedores da cooperativa Mon Dragon localizada no País Basco que recebemo um convite para participar de um evento chamado GLOBAL FUTURIZER, na edição de São Paulo, onde, seríamos um possível candidato par participar como um negócio social recebendo uma bolsa.

Perguntei a eles o que seria um negócio social e me falaram que o Gondola Segura havia sido indicado a eles como um projeto de impacto, por apoiar produtores rurais familares e orgânicos e que isso também era feito na comunidade deles.

Participamos então do FUTURIZER, uma espécie de aceleração social da MonDragon que rodou em diversos países junto com UNILEVER, SENAC e outras iniciativas onde saímos vitoriosos do processo com o melhor Pitch.

A partir disso nos conectamos com várias redes como por exemplo o Impact Hub, onde passamos a frequentar e participar e aprender cada vez mais sobre negócios e impacto social.

Turma do FUTURIZER — 2012 edição São Paulo/SP

Desejando documentar esse clima de inovação social, fizemos um filme desse processo. A música de fundo, que toca no final é também um ótimo caso de estudo de como empreender socialmente.

Foi produzida de forma colaborativa com um coletivo chamado Bloco do Instante na Demétria em Botucatu/SP, um bairro que nasceu dentro da primeira fazenda de agricultura biodinâmica do Brasil e que tem muita sinergia com a narrativa do Gondola Segura.

Aqui tivemos o primeiro reconhecimento de nosso projeto, como um projeto de impacto. Abaixo um print de uma postagem sobre o evento, realizado pelo um dos co-fundadores do Gondola Segura, Diogo.

Foi o GLOBAL FUTURIZER que trouxe luz para a narrativa do Gondola Segura como uma iniciativa de empreendedorismo social. Isso realmente refletia o que estávamos criando, mas sem claridade até então.

Saiba mais: https://www.globalfuturizer.com/en/Ciudadesfuturizadas/sao-paulo-2/